segunda-feira, 22 de novembro de 2010

VITÓRIA 1 X 1 CORINTHIANS por Bazílio Amaral



FOTO: LANCENET


O Corinthians sabia que nestas últimas 3 partidas, o título só viria se vencesse todos. Isto porque o Fluminense teria São Paulo ( imagina se entregou), Palmeiras ( que vai fazer o mesmo) e o Guarani ( sem chance) e provavelmente vencerá seus jogos, mas o empate na Bahia deixou a equipe esperando um milagre. Isto me faz pensar sobre a discussão pontos corridos x sistema eliminatório, sempre declarei que prefiro o sistema de pontos corridos por ser teoricamente o mais justo, contudo, vemos nos últimos anos que esta " verdade " está deturbada pois vários times influenciam no resultado do campeonato escalando times mistos e "tirando o pé" em nome da rivalidade. Será que Mata - Mata se fosse hoje com Flux Inter, Corinthians x Santos, Cruzeiro x Botafogo e Grêmio x Atlético PR não seria mais emocionante e mais justo pois cada time dependeria apenas de si, será que alguém entregaria o ouro???
O jogo no Barradão foi sob muito calor como era esperado, o Vitória tentava explorar as jogadas em velocidade enquanto o Timão tinha nas infiltrações do trio de meio campo sua maior arma. Ronaldo era fundamental para fazer o pivô e colocou Jorge Henrique ( Viáfara salvou) e Danilo ( fez o gol), porém, o craque sentiu uma contusão e saiu e 90% do sistema ofensivo corintiano saiu junto. O jogo mudou de lado e o Vitória passou a pressionar mais, já que não tinha que se preocupar tanto assim com sua defesa.
Sabendo que precisava vencer, Tite mexeu na equipe mas não alterou a estratégia ofensiva, o que era o mais indicado. Acho que o treinador, e só ele sabe disto, não confia nos seus outros atacantes, enquanto que o Flu tem Emerson, Fred, Washington, Rodriguinho e Tartá como opções, o Corinthians pecou neste quesito em seu planejamento.


VITÓRIA - EMPATE IMPORTANTE PARA ESCAPAR DA DEGOLA, MAS TEVE UM PENALTY SEMELHANTE AO MARCADO CONTRA O CORINTHIANS!!!


Antonio Lopes armou sua equipe do modo como costuma fazer em casa, ou seja , com os dois laterais jogando como alas. Para isto o time jogou no 4-2-3-1 mas atacava no 3-4-3 com Neto Coruja compondo a linha de zaga. O goleiro Viáfara teve Nino Paraíba pela direita, Gabriel Paulista e Anderson Martins centralizados e Egídio pela esquerda formando a linha defensiva. Neto Coruja e Wellington como volantes com Elkerson pela esquerda, Ramón centralizado e Adaílton pela direita e Junior como referência no ataque. Estas mudanças deram muito trabalho para o Corinthians encaixar a marcação sobre os alas, mas o Vitória enfrentava a mesma dificuldades para marcar a infiltração dos homens de meio até a saída de Ronaldo.


Antonio Lopes teve que sacar Ramón para entrada de Fernando e Henrique entrou muito bem no lugar de Elkerson. Neto Coruja sentiu uma lesão e deu lugar a Bida, a partir daí, deixou de fazer a linha de 3 na defesa, mas sem Ronaldo não era necessário.










CORINTHIANS - FALTOU ALTERNATIVA OFENSIVA PARA BUSCAR A VITÓRIA!!!


A saída de Ronaldo foi mais prejudicial do que o técnico Tite e os corintianos poderiam esperar. Mesmo fora de forma, sua técnica e inteligência permite uma variedade enorme de jogadas. O 4-2-3-1 teve Julio Cesar no gol com Alessandro pela direita, Chicão e Willian centralizados e Roberto Carlos formaram a linha defensiva. Ralf e Jucilei como volantes tiveram Elias, Danilo e Jorge Henrique formando o trio de meio campo com Ronaldo a frente.






Veja o encaixe de marcação como o Corinthians conseguia explorar as infiltrações pelo meio até a saída de Ronaldo e se defendia com a consistente linha defensiva, porém a variação do Vitória propiciava muita liberdade para os alas, quando a linha defensiva passou a subir para tirar os espaços destes alas, permitiu as jogadas em profundidades nas costas da zaga.





Além de Iarley no lugar de Ronaldo, Tite sacou Jorge Henrique para entrada de Paulinho, que não é mais volante na equipe. Porém, não houve uma modificação mais precisa na linha de frente e faltou força para chegar a vitória.










Veja os melhores momentos do jogo:



Um Abraço,

domingo, 14 de novembro de 2010

A imagem é clara! (de resto, o choro é livre)

 
imagem do site sportv.com

* Post de Paulo Calçade do Blog da ESPN Brasil

FOI PENALTI

O jogo era ótimo, emocionante, entre dois grandes do futebol brasileiro.

Era.

O pênalti de Gil em Ronaldo acabou com a história de um confronto especial.

Como ninguém vai se importar mesmo com o que aconteceu na partida, a discussão passa a ser uma só: o pênalti.

E foi.

Para muitos, um lance polêmico; para mim, claro.

Gil estava distante de Ronaldo. Quando percebeu que a bola chegaria ao centroavante, o zagueiro fez carga sobre as costas do corintiano, num movimento claro de quem estava atrasado, mal posicionado.

Até que se mude a regra, pênalti.

Gil saltou sobre as costas de Ronaldo.

Isso é falta.

Não existe diferença entre faltas na área ou fora dela, o que muda é onde se coloca a bola para a cobrança.

O jogo foi ótimo. O Cruzeiro foi melhor no primeiro tempo, teve a bola e a vantagem tática. Sabendo que Montillo seria marcado por Ralf, Cuca colocou Gilberto no meio-campo, com Marquinhos Paraná fechando a marcação na defesa.

No 3-5-2 de Cuca, Gilberto era alternativa à marcação no argentino. Demorou para o Corinthians entender o que acontecia em campo.

Mesmo com menos posse de bola no segundo tempo, o Cruzeiro teve as melhores chances.

Triste, pois se falará apenas sobre arbitragem.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

SÃO PAULO 0 X 2 CORINTHIANS por Bazílio Amaral



FOTO: LANCENET


O Corinthians apostou no bom posicionamento para vencer o rápido e ofensivo São Paulo no Morumbi, explorando justamente o lado esquerdo da defesa tricolor. Na preparação para o jogo, Carpegiani mostrou preocupação com as ausências de Richarlyson e Carlinhos Paraíba e elas se mostraram fundamentadas, principalmente porque Diogo é muito ofensivo e deu espaço para o gol de Elias. Vale ressaltar a bela performance de Tite, que mais uma vez, jogou junto e soube mexer bem suas peças para explorar as deficiências adversárias e também soube fechar a equipe sem recuar muito quando estava a frente do placar.
Já o São Paulo não pode dizer que jogou mal, fez uma boa partida mas teve o seu sistema ofensivo bem marcado pela defesa corintiana. Quando conseguiu levar vantagem pela técnica de seus atletas, parou na boa tarde do goleiro Julio César que pegou tudo. Carpegiani também tentou mexer a equipe taticamente, mas suas peças não estavam em boa tarde. Agora, além de aguentar as gozações corintianas, o Tricolor terá que decidir se ainda tenta brigar pelas poucas chances que ainda restam para a vaga na Libertadores e ajudar seu rival na disputa ao título, ou já dá férias para seu tme titular e pensa no ano que vem.


SÃO PAULO - EQUIPE NÃO ENCONTROU OS ESPAÇOS QUE O CRUZEIRO OFERECEU NA QUARTA!!!


O São Paulo foi a campo com a mesma proposta do jogo contra o Cruzeiro, ou seja, postado no 4-2-3-1 e buscando as infiltrações de Dagoberto e Lucas. Contudo, as ausências de Carlinhos Paraíba e Richarlyson deixaram o lado esquerdo da defesa vulnerável e sem a mesma velocidade de cobertura. Diogo na lateral não tem bom poder de marcação e não fecha a linha defensiva como o titular, assim como Casemiro não possui a velocidade de cobertura que Carlinhos Paraíba, apesar de ser um belo jogador. O goleiro Rogério Ceni, que falhou no 1º gol corintiano não por ter ajoelhado, mas por estar muito perto da trave, teve Jean pela direita, Alex Silva e Miranda centralizados e Diogo pela esquerda formaram a linha defensiva. Rodrigo Souto e Casemiro como volantes com Lucas pela direita, Dagoberto centralizado e Fernandão pela esquerda com Ricardo Oliveira no ataque. Contudo, os quatro homens de frente estiveram muito bem marcados pela linha defensiva e os volantes corintianos.


Para conseguir desequilibrar a defesa corintiana, Carpegiani sacou Diogo e Casemiro para entradas de Jorge Wagner e Ilsinho no intervalo, com isso o time passou a jogar no 4-2-2-2 e liberou os 2 laterais. Deu certo parcialmente, pois o time não conseguiu chegar ao empate, mas Jean deu velocidade nas coberturas defensivas e os corredores laterais foram bem explorados, contudo, me pareceu que o time cansou na metade final pois correu muito no 1º tempo, enquanto que o Corinthians guardou posicionamento. Como consequência, o Corinthians começou a manter a posse de bola e em um destes lances fez o 2º gol e jogou uma pá de cal no jogo. Carpegiani sacou Fernandão para entrada de Marlos, mas o time perdeu força física na frente e deixou de reter a bola no ataque.



CORINTHIANS - SISTEMA DEFENSIVO GARANTE BRIGA PELO TÍTULO!!!!


Tite estudou o jogo São Paulo x Cruzeiro e armou sua equipe de forma muito inteligente, tirando os espaços do fundo do campo e congestionou o meio campo, com isto freou o ímpeto tricolor e explorou o contra ataque. O 4-2-2-2 teve Alessandro, Chicão, Willian e Roberto Carlos formando a linha defensiva. Ralf e Jucilei como volantes em uma partida perfeita, Elias ( com dupla função de meia e volante) e Bruno César no setor de criação completaram o quadrado. Ronaldo em frente a área teve como companheiro de ataque o rápido Dentinho que teve uma função tática fundamental para o clássico. Ele começou atuando aberto na direita, fazendo a marcação sobre Diogo.



Veja no encaixe de marcação que o duelo dos treinadores começou muito marcado, o Corinthians apostava na linha defensiva que não deu espaços nas costas dos laterais e na dupla de volantes que faziam dobras de marcação sobre Dagoberto e Lucas. Com Dentinho aberto em cima de Diogo, o lateral ficou preso e Miranda próximo na cobertura, assim o São Paulo tinha espaço para jogar com Jean, que constantemente fazia a transição.






Mas a sacada de Tite foi a mudança de lado de Dentinho, com isto Jean foi marcado e Diogo ficou livre. Com espaço Diogo passou a desguarnecer a linha defensiva e Miranda estava mais preocupado em cobrir o meio da área. Quem aproveitou o espaço foi Elias e este foi o desenho do 1º gol corintiano.






Quando o São Paulo fez sua alteração tática e colocou 2 meias liberando os laterais,cresceu no jogo pois sobrecarregou os volantes corintianos. Tite agiu rápido e alterou o jogo para o 4-2-3-1 com Dentinho, Elias e Danilo , que hgavia entrado no lugar de Bruno César, formando o trio do meio campo que marcou a saída de bola tricolor. Paulinho e Iarley entraram nos lugares de Elias e Dentinho apenas para oxigenarem a marcação e manter a posse de bola.



Veja os melhore momentos do jogo:


Um Abraço,

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

FLAMENGO 1 X 1 CORINTHIANS por Bazílio Amaral


FOTO: LANCENET


Em um Estádio com pouco mais de 9 mil torcedores, Flamengo e Corinthians duelaram em busca de objetivos distintos. O Flamengo tentando se afastar de vez da zona da degola ( e para mim não cai mais), enquanto que o Corinthians segue na briga pelo título. Por tudo isto, o empate foi péssimo pra o time paulista, ainda mais com se Fluminense e Cruzeiro vencerem seus jogos. Mas a boa notícia é que o Timão voltou a praticar um futebol competitivo, porém, sofre muito com o desgaste físico na 2º etapa e com as ausências de Dentinho e Jorge Henrique.
O jogo foi muito fraco tecnicamente, com as 2 equipes errando muitos passes principalmente por não conseguirem se adaptar a marcação avançada feita pelo Corinthians no 1º tempo e pelo Flamengo na etapa final. Tite começou o jogo no 4-4-2 losangal, mas com os laterais flamenguistas tendo liberdade para girar o jogo e manter a posse de bola, logo alterou para o 4-2-3-1. Neste quesito que cito a importância tática de Iarley para equipe neste jogo, pois correu muito ajudando a compor o meio campo, porém a torcida não entendeu e as críticas foram pesadas. Com esta plataforma de jogo, as laterais flamenguistas foram bloqueadas e o Corinthians se fechou bem , mas não tinha força e velocidade para sair de trás com rapidez, como consequência foi dominado no 2 tempo. Já o Flamengo teve 2 momentos distintos: primeiro entrou muito mal armado por Luxemburgo no 4-4-2 losangal, que tinha como ponto positivo a velocidade e ofensividade dos homens de frente, porém sem qualidade de passe no meio, a equipe perdeu o domínio da partida. Mas no intervalo, Luxemburgo voltou a ser o que era ao sacar David para entrada de Marquinhos ( ex Vitória e Palmeiras). Esta alteração propiciou ao treinador alterar a plataforma de jogo para uma das minhas favoritas, porém de alto grau de dificuldade para ser executada por exigir velocidade e concentração dos atletas. O 4-1-3-2 surpreendeu o Corinthians na segunda etapa ao pressionar a saída de bola com 5 ou 6 atletas fechando os lados e o corredor central, como não tinha velocidade para a bola longa, o Corinthians se viu acuado.


FLAMENGO - BELO SEGUNDO TEMPO COM MUITA DISCIPLINA TÁTICA!!!!


Apesar de muitos lerem como 4-3-3, Luxemburgo armou sua equipe no 4-4-2 losangal para encaixar na plataforma de Tite utilizada contra o Palmeiras. Assim a marcação do meio campo se encaixava e o s laterais tinham liberdade até o meio campo, com isto a manutenção da posse de bola era feita através de viradas de bola feitas pelos laterais e o Corinthians teve dificuldade para quebrar isto até adotar o 4-2-3-1. O goleiro Marcelo Lomba teve Léo Moura na direita e Juan pela esquerda mostrando evolução na marcação neste Brasileiro com Ronaldo Angelim e Wellington centralizados na marcação de Ronaldo. Maldonado centralizado teve Willian ( errou muitos passes) pela direita e Renato Abreu pela esquerda formando um tripé no meio campo com Diogo como atacante recuado ( diferente de um meia que faz a mesma função), Diego Maurício caindo pelos lados com Deivid ( ainda longe de sua melhor forma) completando o ataque, Como dito acima, a falta de qualidade no passe prejudicou e muito a organização ofensiva do Flamengo, principalmente quando os laterais foram marcados.


Perdendo por 1 x 0 e sem domínio da partida, Luxemburgo ousou no intervalo e deu muito certo. Deivid deu lugar ao rápido Marquinhos e o time passou a atuar no 4-1-3-2 ( a próxima evolução tática, na minha opinião), sistema que carce de muita disciplina tática, noção de cobertura e um adversário sem velocidade como o Corinthians. A linha defensiva permaneceu a mesma, mas Léo Moura e Juan tiveram a importante função de cobertura do volante quando a bola estava pelo outro lado. Maldonado carregou o piano já sem a mesma pegada de outrora, mas com muita experiência e Marquinhos, Reanto e Willian formaram uma linha no meio campo que encostava na dupla Diogo e Diego Maurício para atacar e marcar a saída de bola corintiana no campo de ataque.


Apesar do gol de empate ter saído no início da segunda etapa e de bola parada, o volume de jogo proporcionado pelo 4-1-3-2 deu ao Flamengo a sensação de que poderia ter virado, e não foi exagero. Luxemburgo sacou Willian que estava mal na distribuição de jogadas, apesar de bem na marcação pressionante, para entrada de Correa e com o volume de ataque optou por sacar Diogo para entrada de Val Baiano, mas não deu certo e o placar permaneceu inalterado.






CORINTHIANS - SEM VELOCIDADE NA ETAPA FINAL, EQUIPE É ENVOLVIDA E SAI COM EMPATE RUIM!!!


Tite teve o privilégio de escalara mesma equipe que derrotou o Palmeiras no domingo e por isto o 4-4-2 losangal teve Julio Cesar ( cada vez mais firme no gol corintiano) no gol, Alessandro pela direita, Chicão e Willian centralizados e Roberto carlos pela esquerda formando a linha defensiva que foi constantemente pressionada pela movimentação de Deivid, Diego Maurício e de Diogo que vinha de trás. Ralf como volante principal na marcação teve Elias pela direita e Jucilei pela esquerda formando o tripé de volantes com Bruno César ( é muita qualidade não é??) fazendo a ligação para Iarley e Ronaldo, que fez um bom primeiro tempo quando foi acionado, depois só assistiu.



Porém, nesta etapa do jogo o Flamengo dominou a posse de bola, principalmente porque o Corinthians não conseguia encaixar a marcação nos laterais adversários, com isto o Flamengo girava a bola na intermediária e este balanço preocupou Tite pois poderia abrir espaços para os rápidos atletas de frente flamenguistas, contudo, como errava muitos passes quando jogava verticalmente, o Flamengo acabou não criando tantas chances assim.






O jogo mudou de figura quando Tite armou, ainda no primeiro tempo, o 4-2-3-1 com Elias e Iarley em cima dos laterais adversários. Iso quebrou a posse de bola flameguista e o Corinthians passou roubá-la no campo de ataque, sendo premiado com 1 gol.
Veja no encaixe como que a virada de jogo já não seria mais possível e como os passes verticais da equipe carioca estavam muito ruins, o Timão passou a dominar o confronto.




Mas foi ai que a intervenção de Luxemburgo foi feliz, peceba na figura ao lado que a linha de 3 do meio campo carioca impedia que a bola chegasse para os meias corintianos. Sem velocidade na frente ( Dentinho e Jorge Henrique) par fazerem a bola em profundidade, o Corinthians perdeu o domínio do jogo e por pouco não é derrotado.
Sem muitas opções de mudança, Tite mexeu sacando Bruno César ( só pode ter saído por problemas físicos) para entrada de Paulinho com Elias indo para o meio e Danilo entrando no lugar de Iarley ( cansado), deixando o time ainda mais lento. Mais tarde Elias saiu para entrada de Defederico que não acrescentou nada e deixa dúvidas de quando deixará de ser apenas um promessa cara.


Veja os melhores momentos do jogo:



Um Abraço,

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

CORINTHIANS 1 X 0 PALMEIRAS por Bazílio Amaral



FOTO: LANCENET


O clássico Corinthians e Palmeiras foi marcado pela estréia de Tite no comando do Timão e pela divisão de atenção do Palmeiras entre Brasileiro e Copa Sul Americana. Mas foi decidido pela bela finalização do meia Bruno César que voltou a equipe, Tite organizou a equipe no 4-4-2 losangal e deu de volta a consistência da linha defensiva, com laterais compactado, que a equipe havia perdido com Adilson Batista. Já o time de Luis Felipe Scolari jogou pelo empate e armou um bom sistema defensivo para isto, mas como saiu atrás do placar não teve qualidade nem disposição para reverter a vantagem corintiana.


CORINTHIANS - BOM POSICIONAMENTO TÁTICO E INTERVENÇÃO DO TÉCNICO DURANTE JOGO FORAM FUNDAMENTAIS PARA A VITÓRIA!!!


Tite chegou e já deu sua cara ao Corinthians ao adotar o 4-4-2 losangal e fazer com que os laterais formassem uma consistente linha com os zagueiros. O goleiro Julio Cesar teve Alessandro pela direita, Chicão e Willian centralizados e Roberto Carlos pela esquerda formando a linha defensiva. Ralf centralizado, Jucilei pela esquerda ( dando cobertura para as subidas de Roberto) e Elias pela direita formaram o tripé de volantes com Bruno César fazendo a ligação com os atacantes Ronaldo e Iarley. Esta formação propiciou a subida de Elias e Jucilei para o ataque sem desguarnecer o sistema defensivo, que vinha sendo o grande problema anteriormente. Pena que Ronaldo está muito fora de forma o que prejudica a velocidade das ações ofensivas, apesar que o talento dele por vezes compensa balnça.


Na segunda etapa, Tite viu o Palmeiras dominar o meio campo e ter espaços pelas laterais para fazer a transição ofensiva, com isto ele sacou Bruno César ( cansado) e Iarley ( muito criticado pela torcida) para entradas de Danilo e Willian Moraes, sendo que o último entrou muito mal no jogo. Com isto o sistema de jogo foi alteraod para o 4-2-3-1 com Elias e Willian Moraes fechando os lados e Ronaldo tendo que se movimentar em uma área menor, assim o tim ficou bem equilibrado e conseguiu manter o resultado até o fim do jogo sem tomar uma pressão muito grande do adversário.





PALMEIRAS - CABEÇA NO GALO E SISTEMA DEFENSIVO COMPACTO, PORÉM SOFREU 1 GOL!!!!


O Palmeiras está nitidamente priorizando a Copa Sul Americana e mesmo com seus principais jogadores, não se esforçou tanto assim no clássico contra o Corinthians. Sabendo que isto iria acontecer, Felipão armou um 4-2-3-1 mais defensivo com sua linha de 3 marcando para trás do meio campo e apenas Kléber isolado no ataque. Isto dificultou as ações corintianas, mas fez com que o time pouco criasse. O goleiro Deola teve Luis Felipe pela direita ( muito fraco na marcação), Danilo e Fabrício centralizados e Rivaldo pela esquerda formando a linha defensiva, porém com uma certa fragilidade nas laterais que o Corinthians não explorava. Edinho e Marcos Assunção como volantes e o trio de meio campo formado por Luan pela esquerda, Tinga pela direita e Lincoln centralizado com apenas Kléber na frente.




Veja no encaixe do jogo como que o Palmeiras se armou para defender, poré,, em uma boa movimentação de Ronaldo entre o lateral, o zagueiro e o volante, o Corinthians conseguiu o espaço que precisava para fazer o gol da vitória. O Palmeiras com 9 atletas compactados tinha facilitado a utilização dos caixotes de marcação, porém. com pouca pegada o time se posicionou atrás mas não apertava para roubar a bola, deixando o jogo de certa forma confortável para o adversário.






Na volta do intervalo o time veio com Valdívia e Patrik, nos lugares de Lincoln e Luis Felipe. O time melhorou um pouco, mas com o chileno sentindo ainda uma contusão muscular ele logo teve que sair para entrada do atacante Dinei. Com esta alteração, Felipão centralizou Tinga, adiantou 2 atacantes e liberou o lateral Patrik para apoiar, deu certo até Tite fechar as laterais de sua equipe.






Com a melhora do Palmeiras na segunda etapa, Tite adotou o 4-2-3-1 e conseguiu fechar as laterais e aumentar também a sua possibilidade de caixotes, mas seu time estava muito mais empenhado do que o adversário.
Com a saída de Valdívia e a adoção do 4-2-2-2, o Palmeiras passou a ter Luan pela esquerda e Patrik pela direita para fazer jogadas pelos lados, mas a boa consistência corintiana impediram a conclusão das jogadas. Por isto tudo que digo que Tite fez uma boa estréia e participou ativamente da vitória.



Veja os melhores momentos :




Um Abraço,

terça-feira, 19 de outubro de 2010

GUARANI 0 X 0 CORINTHIANS - ARBITRAGEM E TRAVE IMPEDEM VITÓRIA CORINTIANA EM CAMPINAS!!! por Bazílio Amaral


FOTO: LANCENET


Guarani e Corinthians fizeram um jogo bem movimentado no Estádio Brinco de Ouro da Princesa apesar do placar zerado. Com a zona de rebaixamento chegando cada vez mais perto ( lembre-se do que aconteceu com o Coritiba ano passado), o Guarani tentou utilizar o fator casa para impor um ritmo forte ,mas não teve capacidade técnica e tática suficiente para superar um Timão bem postado e com 2 talentos em campo. Ronaldo, nitidamente fora de forma, e Roberto Carlos, já sofrendo com o peso de seus 37 anos, foram bem aproveitados pela plataforma de jogo adotada por Fábio Carile. Diferente do que os nossos analistas da TV e rádio disseram, o Corinthians não atuou no 3-5-2, apesar de utilizar esta formação quando atacava pela direita, mas o treinador utilizou uma espécie de 4-1-3-2. Outrossim, isto só foi possível por causa da volta de Ralf, pouco falado o volante deu mostras do seu valor ao sair da equipe lesionado e o número de gols tomados mais que dobrou.
A verdade é que com a chegada de Tite e com alguns bons jogadores voltando, talvez dê para o Corinthians pleitear algo como o título, basta dizer que uma vitória contra o Palmeiras no domingo fará com que a torcida leve este time nos ombros. É esperar para ver. Já o Bugre joga a mesma coisa desde o início do campeonato, ficou um pouco mais leve com entrada de Barboza e este é o problema, não existe nada de novo para o Bugre apresentar. Se o jogo encaixar e a equipe vencer em casa escapa, senão...


GUARANI - TIME EXTREMAMENTE DEPENDENTE DE MAZOLA E SISTEMA DEFENSIVO!!!


O Guarani passou a contar nesta reta final do campeonato com um time mais leve no ataque, isto por causa da entrada de Reinaldo e Barboza. Contudo, o time ainda carece de maior poder de organização ofensiva, virada de jogo e posse de bola. Quando o jogo de contra ataque não encaixa o Bugre tem muita dificuldade para desequilibrar o adversário, além disso, sofre com muito espaço para os contra ataques adversários quando perde a bola na transição ofensiva, e isto ocorre demais. O 4-2-2-2 contou com Douglas no gol, Rodrigo Heffner pela direita, Fabão ( muito lento) e Aílson centralizados e Márcio Careca pela esquerda formando a linha defensiva que teve dificuldades para marcar Ronaldo. Renan e Paulo Roberto como volantes estiveram mal posicionados na recomposição ofensiva. Barboza e Preto como meias tentaram organizar o jogo sem muito sucesso para Reinaldo e Mazola, este muito bem marcado por Moacir ou Leandro Castan pelos lados.


Sem muita alternativas no elenco de qualidade para modificar a estrutura de jogo, o Bugre se viu envolvido pela marcação corintiana. Com isto modificou a equipe sem alterar a estrutura tática. Saíram Heffner, Preto e Barboza para entradas de Apodi, Mário Lúcio e Vitor Jr.










CORINTHIANS - RONALDO E ROBERTO CARLOS SÃO DIFERENCIADOS, MAS EQUIPE PRECISA MANTER DENSIDADE DEFENSIVA!!!!


Fábio Carile armou sua equipe para dar condições de Roberto carlos e Ronaldo jogarem de forma competitiva, para isto contou com a excelente volta de Ralf ao mei campo. Infelizmente, o torcedor acaba ludibriado pelas informações equivocadas de alguns comentaristas importantes que enxergaram um Corinthians postado no 3-5-2. Julio Cesar teve Moacir pela direita ( bem na marcação de Mazola, mas mal no restante do jogo), Chicão e Willian e Leandro Castan formando a linha defensiva. Ralf como cão de guarda a frente da linha com Paulinho, Elias e Roberto Carlos formaram outra linha de 3 que se infiltravam com muita velocidade ao ataque. Defederico caindo pelos lados e Ronaldo formaram o ataque.



Veja como que o Corinthians conseguiu anular os espaços para Mazola com Moacir ( que saia para apoiar) e Leandro Castan pelos lados. Mas o diferencial ofensivo do Timão foi o trio do meio campo composto por Elias e Paulinho que se infiltravam e marcavam com eficiência e Roberto carlos com passes precisos curtos e longos.
Na volta do intervalo o jogo se modificou com o Guarani tendo mais posse de bola, isto aconteceu porque o Corinthians recuou suas linhas e permitiu ao Bugre adiantar seus laterais, contudo, este aparente domínio não resultou em grandes chances de gol.


Na reta final do jogo, Carile deu nova vida a equipe e retomou o controle da posse de bola quando colocou Danilo no lugar de Roberto carlos e Iarley na vaga de Defederico. Estas alteração deram mais velocidade ao lado esquerdo e chances foram criadas, mas a vitória não veio.










Veja os melhores momentos :



Um Abraço,

domingo, 26 de setembro de 2010

Elias - o novo Ramires!


Essa associação, Elias-Ramires, feita por Adílson Batista desde seu primeiro dia de trabalho no Corinthians mostra que Elias é o jogador mais importante de seu esquema.

Vamos sem exageros de dizer que Elias começou a jogar bola agora... porque ele foi peça fundamental para aquele time do Mano que foi campeão paulista invicto e da Copa do Brasil 2009. 

A diferença é que Elias era um segundo volante que chegava como elemento surpresa com Mano Menezes, já com Adílson o camisa 7 volta a seus tempos de Ponte Preta e vira um meia que sabe marcar (não que Elias não tinha jogado assim com Mano, mas agora é dessa forma todo jogo).
Elias chega a seleção tendo nos últimos 2 anos feito por merecer, a força do meio campo corintiano tão decantada pelos especialistas da mídia esportiva passa pelo preparo físico, talento, habilidade e boa chegada no ataque do camisa 7 do Parque São Jorge.

Em tempos de mascaradinho que faz o Santos de seu refém, Elias parece também mais maduro... no segundo semestre de 2009 parecia ter se deixado mascarar... mas hoje é um jogador que mostra muita personalidade e que pode fazer muito bem também a nossa Seleção!

O difícil é saber quem Mano vai escalar - Ramires ou o Novo Ramires?

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Neymar, moleque mimado!

Estamos criando um monstro! (Rene Simões)
Essa frase comentada por toda imprensa esportiva nacional hoje mostra que o treinador do Atlético de Goiás pos o dedo na ferida.

imagem globoesporte.com

É hora de parar de bater palma para as gracinhas do Neymar, parar de falar que tudo é coisa de menino... será que todos adversários (e até companheiros de time) estão errados e só ele está certo...


Craques brasileiros como Ronaldo, Romário, Marcos, mostraram que para ter sucesso nessa carreira de estrela não é necessário a arrogäncia. Baixa a bola Neymar!

Abaixo o post excente de Lédio Carmona (comentarista Sportv) do Blog Jogo Aberto:

Lédio Carmona

Nesse momento, a crucificação de Neymar é fácil. Todo mundo joga pedra. Ninguém poupa. E nem deveria ser diferente.
Neymar foi engolido pela monstro do deslumbramento. Perdeu toda noção da boa educação, que, com certeza, seus pais souberam lhe dar. Esqueceu o respeito às regras de bom comportamento e de hierarquia dentro de campo.
Neymar acha que ser craque lhe garante salvo-conduto para qualquer besteira que pense em fazer. Ter talento e ser um projeto (ainda não finalizado) de craque não permite que entenda que o campo é só dele. Ele deve pensar assim, no ritmo do Twitter que, por sinal, ele usa tão mal: “”Quem joga aqui sou eu. Me sigam, é melhor para vocês”.
Neymar, no fundo, no fundo, se acha um tenista num campo de futebol. Quer várias bolas para ele, quer fazer tudo sozinho. Monológo futebolístico, para quem tiver paciência de testemunhar.  Que seus súditos o sigam. O moleque divertido, lúdico e apaixonante do primeiro semestre se tornou malcriado, egoísta e fora do tom. Perdeu a linha, perdeu o rumo, perdeu a pureza.
Renê Simões está certíssimo na sua entrevista. Não tiro uma vírgula do que disse o treinador do Atlético-GO. Dorival Junior, ofendido pelo rebelde sem causa, irá puni-lo. Se não o fizer, perde o comando, algo que nunca aconteceu com DJ. E Neymar, com certeza, virá ao Twitter dizer que há uma conspiração contra ele.
O melhor a ser feito agora é tirar Neymar do foco. Afastá-lo pelo período que for possível. Tempo de reciclagem, de ensinamento, de aprimoramento. Neymar não pode ficar em campo dessa forma. Está jogando seu encanto e seu carisma fora. O futebol brasileiro não pode perder Neymar. Precisamos dele. Mas tem que ser o do primeiro semestre, aquele sorridente e divertido. O atual, raivoso, egocêntrico e sem noção, é alguém absolutamente dispensável. Salvem esse talento.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

História de um Guerreiro! (dilema de um ídolo)


RONALDO É RONALDO NA ALEGRIA OU NA TRISTEZA
(* post do Blog do Torcedor do Corinthians de Yule Bisetto)


Fala, Fiel!

Hoje recebemos a notícia, de que nosso fenômeno Ronaldo está vetado -  de novo! – pelo departamento médico do Corinthians. Desta vez, desfalca o time na partida contra o Fluminense, amanhã, no Engenhão.

Se alguns foram pegos de supresa (really???), achando que dessa vez de qualquer forma ele jogaria, outros já esperavam não poder contar com nosso camisa 9 em campo.

Sempre tem quem vai reclamar, é claro. Nas conversas sobre o tema, aquelas de boteco, rodas de amigos e até no twitter, se escutará que é um absurdo. Como um jogador que ganha tanto por mês não joga? O que tem de errado que está sempre machucado? Porque isso? Porque aquilo?
Dizem por aí que futebol, religião e política não se discutem. Mas o assunto R9 sempre será tema de debate entre nós, corinthianos. Mas como vocês sabem, contra fatos, não há argumentos.
Fato é que Ronaldo não ganha uma fortuna. Ele se paga. Enquanto muitos times penam em conseguir patrocínios rentáveis – são poucos no país com contratos decentes – o Timão arrecadou em 2010 mais de R$ 50 milhões. Tal valor é absurdo perto do segundo colocado Flamengo, único clube que tem o mesmo apelo de mídia que o nosso, doa a quem doer.
Mesmo com a comissão de R9 sobre os patrocínios, o valor que sobra para o clube segue excelente. É receita que permite manter o time de futebol forte. Contratar jogadores como Roberto Carlos, por exemplo. Em nenhum momento podemos nos queixar que não nos reforçamos. É claro, possível, analisar tecnicamente determinadas contratações (Tcheco, Danilo, Edu e outros) como boas ou ruins – se erra no futebol – mas ter um cara como o Fenômeno no grupo, também nos ajuda a vencer a concorrência por jogadores que chegam ao Parque São Jorge como “promessas” – casos de Ralf e Bruno César por exemplo.
Ao contrário de outras estrelas como Adriano, Romário, Edmundo e outros, Ronaldo nunca pecou no quesito profissionalismo. Não vemos notícias do cara faltando a treinos porque estava na balada ou porque estava com preguiça. Não me lembro sequer uma vez de jogadores enciumados ou do tanto que ele ganha provocar algum tipo de desconforto no elenco. O cara é – e sempre será – acima da média em todos os aspectos.
Quando chegou por aqui ele era uma incógnita. Ninguém acreditava mais no cara. Chegou, treinou, fez o que fez no jogo contra o Palmeiras (em seu primeiro gol), arrebentou no Paulistão, deu show, conquistou títulos, sobrou em campo e conquistou ainda mais o respeito de nossa torcida.
E nossa torcida é imensa. Somos muito mais que os 36 mil que com frequência lotam o Pacaembu. Somos uma nação de  mais de 30 milhões, não? Uma República, dizem por aí…
E o apelo de Ronaldo com nosso povo ainda é imenso. I-M-E-N-S-O. E, por isso, sempre será sentida sua ausência dentro de campo.
Aliás, estamos carecas de saber que, mesmo fora de forma, voltando de contusão, sem ritmo, ou i que quer que seja, quando ele veste o manto, é outra coisa… o cara é fo…go!
E admiro Ronaldo por sua luta.
Há tempos ele se queixa de dores, que o corpo pede para parar, que sente que o fim do seu caminho no futebol como atleta, está chegando. Mas como sempre vejo um Ronaldo lutador. Perseguindo um objetivo. Prolongando uma carreira tão vitoriosa, porque mesmo depois de tudo que conquistou, ainda não perdeu o foco e a determinação quando tem que encarar um desafio. Não mede esforços quando quer dar a volta por cima.
Mas tem coisas na vida que não podemos lutar contra. É melhor nos acostumarmos. Ronaldo jogará uma, duas vezes, ficará fora. Ainda sim compensa. Pela parte financeira, pela diferença que ele faz em campo e principalmente pelo privilégio de ver um cara tão grande vestindo nosso manto sagrado.
Sabemos bem que  nosso time já foi montado por Mano para não depender do “gordo”. Temos um ótimo ataque com JH e Dentinho e bons reservas. O ataque – pelos números – não é exatamente o problema do nosso time que só não lidera o campeonato porque não vence fora de casa – e isso é assunto para outro post.
Com Ronaldo ou sem Ronaldo, sempre marcamos.
Então, aproveitem cada segundo do Fenômeno quando ele estiver em campo. Porque o cara é acima da média, MESMO. É um desses jogadores que surgem raramente. Que dificilmente se esquece.
E escolheu o lugar certo para encerrar sua carreira. No time onde um ídolo nunca perde a majestade. Nunca cai no esquecimento. Em um time de centenários de ídolos.
Como Ronaldo. Ronaldo Nazário do Corinthians.

VAAAAAAAAAAAAAAI, CORINTHIANS!

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Parabéns Corinthians!!! 100 anos do Todo Poderoso Timão!!!

Corinthians minha vida, Corinthians minha história, Corinthians meu amor




sexta-feira, 27 de agosto de 2010

CRUZEIRO 1 X 0 CORINTHIANS por Bazílio Amaral


FOTO: LANCENET


Com um golaço de Montillo e com Fábio defendendo um penalty, o Cruzeiro obteve uma vitória marcada pela raça e entrega na marcação de seus atletas, o que não é característico da equipe. A formatação de jogo armada pelo técnico Cuca foi totalmente desfigurada pelo recuo da equipe, o que trouxe muitos riscos, mas era noite da Raposa e o Timão acabou derrotado fora de casa, apesar de jogar bem.

CRUZEIRO - "RECUO FOI FEITO PELOS ATLETAS" DIZ CUCA!!!


Desfalcado da velocidade de Thiago Ribeiro na frente, Cuca rmou sua equipe no 3-5-2, mas com a defesa e o ataque com certa lentidão. O goleiro Fábio teve Gil pela direita, Cláudio Caçapa centralizado e Edcarlos pela esquerda formando o trio defensivo. Jhonatan na direita e Everton na esquerda formaram as alas com Henrique e Marquinhos Paraná como volantes e mais marcadores do que o costumeiro. Montillo encostando nos atacantes Wellington Paulista e Robert formaram o trio de ataque.
Esta é a formação que o Cruzeiro teve até sair o gol, depois o time foi se encaixando no Corinthians e passou a ter Wellington Paulista acompanhando Alessandro, Jhonatan, Henrique e Marquinhos Paraná fazendo marcação individual sobre Bruno César, Elias e Jucilei. montilo desapareceu d jogo e Robert nem se fala. A verdade é que o time de Cuca correu muito risco na partida, mas saiu com os 3 pontos.

Na metade da 2º etapa, Cuca tentou retomar o controle do jogo e armar o contra ataque. para isto sacou Robert para entrada de Wallyson e Montillo para entrada de Roger, além disso Everton saiu para entrada do jovem Pablo e o time se reorganizou no 3-5-2, apesar de não retomar a posse de bola.








CORINTHIANS - FALTOU TALENTO DENTRO DA ÁREA PARA FURAR BLOQUEIO CRUZEIRENSE!!!


A princípio o time de Adilson Batista entrou no gramado do Parque dos Sabiás coma mesma formatação que jogou e atropelou o São Paulo. Contudo, a maior velocidade de cobertura defensiva e o gol cedo contribuíram para emperrar o jogo corintiano. Além disso, o penalty perdido por Bruno César fez falta a equipe e tirou o habilidoso meia do jogo. O goleiro Julio Cesar teve Alessandro na direita ( apoiando finalmente), Chicão e Paulo André centralizados e Roberto Carlos mais preso na marcação formando a linha defensiva. Ralf como volante dava suporte para que Jucilei e Elias encostassem no ataque, porém a velocidade e noção de cobertura de Henrique e Marquinhos Paraná causaram problemas. Bruno César esteve apagado caindo pela esquerda e Jorge Henrique pela direita com Iarlei no comando de ataque, até por isto que Adilson pedia constantemente para que seu sistema ofensivo trocasse de posições para ludibriar a marcação individual cruzeirense.


Veja o encaixe de marcação antes de sair o gol do Cruzeiro e como a marcação proposta por Cuca tendia para ser individual.
Após o gol veja como o Cruzeiro recuou marcando com 9 atrás da linha da bola e sem saída para o contra ataque. Perceba como Roberto Carlos estava sem função e não subiu para o ataque porque devia estar com algum problema.







Adilson batista gritou, correu na beira de campo, mas também mexeu na equipe e tentou dar maior ofensividade ao sacar Bruno César para entrada de Willian Moraes, Souza no lugar de Iarlei e Paulinho no lugar de Roberto carlos, com isto o time teve mais um meia e ficou sem lateral esquerdo, ralf e Paulo André faziam a cobertura por ali. Na realidade faltou ao Corinthians um driblador para furar a defesa cruzeirense, ou alguém com a qualidade de Ronaldo em forma.




Veja os melhores momentos:



Um Abraço,